Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    8 de outubro de 2009

    OPINIÃO: Situação em BH é preocupante

    O período chuvoso apenas começa, mas Belo Horizonte tem enfrentado (velhos) problemas que antes eram comuns apenas no auge da estação. A chuva dessa noite de outubro provocou caos em quase toda a capital mineira: transbordamento de rios, vias alagadas, carros empilhados, queda de árvores, falta de energia elétrica, desmoronamentos, deslizamentos de terra, medo, terror, destruição e prejuízo.
    É verdade que o episódio da noite de ontem foi intenso e seria capaz de provocar as mesmas cenas em qualquer outra grande cidade do mundo. Afinal, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia, foram 57,6 litros de água por metro quadrado em apenas duas horas. No entanto, é verdade também que poderia ser diferente.
    O solo urbano está cada vez mais impermeável à água, as árvores mais escassas e o transporte menos coletivo. A sujeira é generalizada e cresce sem parar. A ilha de calor urbana se intensifica e com ela o desconforto térmico e os eventos severos. A falta de educação, respeito, senso de coletividade e de pertencimento ao ambiente predomina. Mas há esperança.
    Mesmo a passos lentos, a busca por uma cidade menos doente e mais sustentável não pode parar. A ciência avança e nos oferece diversas alternativas, basta ter coragem de adotá-las! Trata-se de um esforço coletivo e cotidiano, não apenas do poder público. Plante uma árvore em sua rua, não jogue lixo em local inapropriado, reserve uma área no quintal de sua casa para um jardim, adote a energia solar, consuma com responsabilidade, pense em seus filhos e netos, tenha coragem! Essa é a postura contemporânea e verdadeiramente inteligente.
    A chuva é necessária e não pode parar, é vida! Outras tempestades virão até o próximo mês de março. Entre novembro/2009 e janeiro/2010, volumes de água superiores ao de ontem poderão provocar tragédias ainda maiores na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Prepare-se.
    Rafael Rodrigues da Franca
    Mestre em Geografia pela UFMG (Especialista em Climatologia e Variabilidade Climática em Minas Gerais)
    08 de outubro de 2009

    2 comentários:

    Adriana disse...

    Concordo plenamente com a sua opinião e manifesto. A chuva não pode parar, mas os problemas podem e devem ser amenizados. Basta usarmos de fato a inteligência com medidas bem simples.

    Bjs

    Anônimo disse...

    Se quisermos belo horizonte sem destruição,devemos aprender a cuidar da natureza, do lixo. A EDUCAÇÃO ainda é o menor recurso
    raphael moreira