Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    4 de outubro de 2009

    Série 'Climas de Minas': conheça Patos de Minas!

    Nesse domingo, a série Climas de Minas premia nossos visitantes do Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro com informações sobre o clima da cidade de Patos de Minas! As análises se baseiam em dados das Normais Climatologícas 1961-1990 do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Confira abaixo!

    Com seus quase 140 mil habitantes, o município de Patos de Minas está estrategicamente localizado entre a capital mineira e a importante cidade de Uberlândia. Devido sua grande participação na produção mineira de milho, Patos é também conhecida como a "Capital do Milho". Todo ano, no mês de maio, a cidade realiza a "Fenamilho", um grande evento que atrai turistas de todo o país para assistir shows, rodeios, exposições, leilões, palestras e se deliciar com um diversificado cardápio baseado no milho.

    O município tem áreas de topografia plana a suavemente ondulada, entre 765 m e 1193 m acima do nível do mar. A estação meteorológica do INMET, utilizada como referência, situa-se a 940 m de altitude. Patos apresenta um clima tropical, típico do Cerrado, com temperaturas máximas elevadas o ano todo e chuvas concentradas no verão. A temperatura média anual é igual a 21,1° C - mesmo valor de Belo Horizonte. O mês mais quente é março, com 22,9° C de média e máximas em torno dos 29,5° C. Julho, por sua vez, é o mês mais ameno: 18,2° C de média e temperaturas máximas e mínimas, respectivamente, de 25,8° C e 12,5° C.

    A cidade tem índice pluviométrico anual igual a 1474,4 mm, quase totalmente distribuído de outubro a março. O mês mais chuvoso é dezembro, com 297,2 mm de precipitação. Por outro lado, junho costuma ter apenas 6,2 mm de chuva. A existência de uma estação seca tão bem definida é responsável por uma queda acentuada da umidade relativa do ar a partir de abril. Em agosto, a umidade atinge seu valor mínimo: 51,8 %. Como esse é um valor médio, é altamente provável que durante as tardes desse mês a umidade fique abaixo de 30 %.

    Afastada do oceano, Patos de Minas é afetada pelo efeito da continentalidade, o que lhe confere uma grande quantidade de horas de brilho solar ao longo do ano (2461,3). Durante a estação seca, a insolação é bastante elevada, atingindo seu ápice em agosto (264,3 horas). Já em dezembro, a maior frequência de frentes frias e a atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) é responsável por dias seguidos de chuva e céu nublado. Nesse mês, a quantidade de horas de brilho solar na cidade não passa de 145, cerca de 20 a menos que em Belo Horizonte (165,1) e 60 a menos que em Espinosa (207,9), no extremo norte mineiro. Ainda assim, o valor de Patos é maior que o de Juiz de Fora, com apenas 105,5 horas de sol em dezembro.


    Curiosidades:

    • A cidade surgiu no início do século XIX nos arredores da Lagoa dos Patos, onde, segundo descrições históricas, existia uma enorme quantidade de patos silvestres, o que explicaria seu nome.
    • Entre 1961 e 1990, a menor temperatura registrada em Patos de Minas foi no dia 31 de maio de 1962: 1,5° C.
    • No mesmo período, a maior temperatura observada foi 36,5° C, no dia 29 de outubro de 1980.
    • Ainda nesse período, o maior volume de chuva acumulado em 24 horas foi o de 13 de janeiro de 1978: 150,2 mm!

    Gostou do terceiro episódio da série? Sentiu falta de algo? Você pode participar sugerindo a próxima cidade a ser escolhida. O BH TEMPO receberá nomes até o dia 23 de outubro na seção "comentários" deste post. Participe!

    2 comentários:

    Yuri disse...

    A próxima cidade podia ser Caratinga ou Ponte Nova

    Nuri disse...

    MAIS PONTOS TURÍSTICOS PFVR! ADOREI SABER DE PATOS, QUE CIDADE MARAVILHOSA! E ÚMIDA! QUE CLIMA ADORAVEL! QUE GENTE BONITA! XOXOXO