Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    13 de dezembro de 2010

    BH: pressão atmosférica atinge seu menor valor em 2010

    Para a maioria das pessoas, a tarde dessa segunda-feira não passou de mais uma tarde normal do final da primavera - com muito sol, calor e algumas nuvens escuras no horizonte. Mas para quem acompanha o dia-a-dia dos dados meteorológicos, a tarde desse 13 de dezembro foi mais do que isso na capital mineira. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), registrados por uma estação automática de superfície localizada na região da Pampulha, entre 16 h e 17 h de hoje, a pressão atmosférica atingiu seu menor valor do ano na capital: 906,4 hPa. Para efeito de comparação, o maior valor registrado esse ano pela mesma estação foi 928,3 hPA - na manhã do dia 18 de agosto. Na prática, um valor de pressão muito baixo como o dessa tarde indica que há amplas condições para formação de nuvens de chuva sobre a região. A pressão baixa favorece a atividade convectiva, ou seja, o transporte da umidade superficial para as camadas mais altas da troposfera (10 mil metros). Esse processo ocorre às custas de um enorme gasto de energia (calor), o que não falta nessa tarde de dezembro em Belo Horizonte. Até às 16 h, a temperatura já havia atingido os 31,3°C na região da Pampulha. A umidade também está elevada, o que favorece o fenômeno. O resultado é o crescimento das nuvens, como mostra a imagem ao lado obtida agora há pouco.
    PREVISÃO: uma frente fria avança sobre o estado de São Paulo e deve chegar ao Triângulo Mineiro e ao Sul de Minas ainda nessa noite, provocando chuva forte nessas regiões. Nas demais regiões mineiras, inclusive na capital, a frente fria apenas estimula a formação de instabilidades tropicais que devem causar temporais a partir de amanhã. Apesar disso, o calor deve permanecer na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

    Um comentário:

    Anônimo disse...

    Será que o calor NUNCA irá embora? Já passou da hora...