Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    5 de fevereiro de 2010

    Nuvens carregadas voltam a se formar em MG



    Após um longo período de muito sol, calor e tempo seco, o aumento da umidade em decorrência da intensificação da circulação marítima sobre parte de Minas Gerais permitiu a formação de nuvens de chuva em algumas regiões do estado nessa sexta-feira. As nuvens mais carregadas se organizaram sobre os vales dos rios Doce, Mucuri e Jequtinhonha, áreas mais próximas do oceano e que, no entanto, enfrentavam uma intensa estiagem desde o final do ano passado. Na noite de ontem, um forte temporal atingiu a região de Governador Valadares. Em apenas uma hora, o pluviômetro da estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) na cidade registrou um acumulado de 45,8 mm - valor muito significativo. Segundo dados da mesma estação, o deslocamento do sistema de tempestade sobre a região provocou rajadas de vento com velocidade de até 134,6 km/h! No início da tarde de hoje voltou a chover em Valadares e a máxima não passou dos 31,2° C, cerca de 5 graus menor que nos últimos dias.
    A imagem de satélite (acima e à esq.) do final dessa tarde também mostra nuvens carregadas sobre o Triângulo, Sul e Noroeste de Minas. Nessas regiões, a queda da pressão e a combinação do calor com a elevada umidade foram os responsáveis pela volta da chuva. Às 20 h havia registro de chuva com trovoadas em Uberaba e Uberlândia.
    Em Belo Horizonte, um belo pôr-do-sol coloriu o céu com poucas nuvens da tarde dessa sexta (imagem acima e à dir.). Hoje é o 12° dia consecutivo sem chuva na capital. Apesar do sol forte, a circulação marítima tem regulado a temperatura e deixado a sensação térmica agradável. Segundo a estação do INMET na região da Pampulha, nessa sexta a máxima chegou aos 30,7° C. No final da tarde, rajadas de vento de até 38,8 km/h foram registradas no local. Ontem chegou a chover em alguns pontos da Região Metropolitana e a chance de chuva isolada permanece nesse final de semana.

    4 de fevereiro de 2010

    Manhã de céu absolutamente azul em BH

    Sol, calor e baixa umidade: assim está o tempo em Belo Horizonte e Região Metropolitana. Há 10 dias não chove na capital mineira. O predomínio de um intenso sistema de alta pressão em quase todo o país inibe a formação de nuvens de chuva e dificulta a aproximação de frentes frias da Argentina. Ontem (03/02), Belo Horizonte teve a tarde mais quente do ano até o momento. Segundo registros da estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia na Pampulha, a máxima nessa região chegou aos 32,3° C. Antes disso, a maior temperatura do ano havia sido registrada na tarde do dia 13/01: 31,9° C. Nas horas mais quentes do dia, a umidade relativa tem ficado próxima a 30 %. E essa quinta-feira não será diferente. Como num dia de inverno, a manhã dessa quinta é de céu absolutamente sem nuvens na capital (imagem ao lado). A tarde terá mais sol e calor, com máxima de até 31° C. Durante a madrugada, a mínima foi de 21,5° C e às 9 h já fazia 24,7° C. Há uma pequena chance de chuva em pontos isolados da Região Metropolitana.

    2 de fevereiro de 2010

    Chuvas estão dentro da média em BH

    Apesar da impressão de que Belo Horizonte esteja enfrentando um período de chuvas abaixo da média, a capital mineira teve um mês de janeiro normal, pelo menos no que diz respeito à precipitação. Conforme dados registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) - órgão oficial responsável por medições meteorológicas no Brasil, em janeiro de 2010 choveu 291,5 mm na região Centro-Sul da cidade. Segundo o INMET, o volume total de chuva esperado para o mês em Belo Horizonte é 296,3 mm, de modo que a diferença entre o observado esse ano e o normalmente esperado foi inferior a 5 mm.

    Por outro lado, embora dentro da média, o volume de chuva registrado no último mês ocorreu de forma irregular, isto é, em eventos isolados. As conhecidas "invernadas" - dias seguidos de chuva e temperaturas amenas - ainda não apareceram. O gráfico abaixo, do próprio INMET, mostra a distribuição de chuvas no mês em questão. Observe que grande parte do volume mensal provém de episódios nos dias 1°, 15, 16 e 21 de janeiro. Nos demais dias do mês, ou não choveu ou a chuva foi pouco expressiva.

    Quanto às temperaturas, as médias das máximas e mínimas foram de, respectivamente, 29,6° C e 20,5° C. O normal para o mês seria 28,2° C para máximas e 18,8° C para mínimas. Nesse caso, pode-se falar em anomalias positivas de 1,4° C para as máximas e 1,7° C para as mínimas.

    PREVISÃO: fevereiro começa com muito sol, calor e tempo firme em todo o estado de Minas Gerais. No entanto, a partir da segunda quinzena do mês chuvas intensas devem voltar a cair sobre o centro-sul mineiro, inclusive na capital e áreas do leste do estado atingidas por uma longa estiagem. Vários modelos meteorológicos são afirmativos sobre essa mudança no padrão atmosférico. Contudo, é bom destacar que trata-se apenas de uma tendência e que previsões mais seguras somente serão possíveis nos próximos dias. Acompanhe aqui no BH TEMPO!

    1 de fevereiro de 2010

    Sol e calor no Sudeste do país


    Nessa segunda-feira, uma extensa massa de ar quente e seco predomina sobre o Sudeste do Brasil, o que dificulta a formação de nuvens de chuva e a aproximação de frentes frias do Sul do continente. Ao longo da semana, esse sistema perde força e a probabilidade de chuva aumenta. Enquanto isso, muito sol e calor. Ao meio-dia, as temperaturas estavam elevadas em todas as capitais da região. Confira abaixo*:
    Rio de Janeiro (Campo dos Afonsos): 35° C
    Vitória: 33° C
    São Paulo (Congonhas): 29° C
    Em Belo Horizonte, a nebulosidade diminuiu e o sol aparece forte, conforme imagem acima (à dir.). Ao meio-dia fazia 27° C, segundo o Aeroporto Carlos Drummond de Andrade (Pampulha).
    *Dados de aeroportos

    31 de janeiro de 2010

    Pressão elevada e rajadas de vento moderado na RMBH

    O avanço de um sistema de alta pressão atmosférica sobre o centro-leste mineiro intensifica a circulação marítima e provoca rajadas moderadas de vento leste na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Nos próximos dias, esse amplo sistema, associado a uma massa de ar quente e seco, deve afetar quase todo o Sudeste do país, inclusive grande parte do estado de São Paulo, onde tem chovido diariamente. Segundo dados registrados pela estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) em Belo Horizonte, na região da Pampulha a pressão em superfície subiu de 918,9 hPa às 11 h da manhã da última sexta (29), para 920,4 hPa ontem e 921,7 hPa hoje (no mesmo horário). O deslocamento e a atividade da alta pressão marítima tem provocado ventos moderados na capital. Segundo registros da estação do INMET na região da Pampulha, as rajadas mais intensas chegaram aos 30,2 km/h entre 9 h e 10 h desse domingo. Já em Ibirité, no alto da Serra do Rola Moça, o INMET registrou rajadas de até 48,6 km/h no início dessa manhã. Graças a umidade marítima, a capital amanheceu com céu parcialmente nublado, conforme imagem ao lado.