Monitoramento ao vivo: twitter.com/bhtempo

bhtempo

    14 de julho de 2010

    Frente fria não chega e BH tem tarde de muito sol e calor

    O avanço de uma intensa massa de ar polar deixa a tarde dessa quarta-feira muito fria em parte da América do Sul. A onda de frio, prevista há dias pela meteorologia, atingiu com força grande parte do Chile, Argentina, Paraguai, Bolívia, além do Uruguai e das regiões Sul, Centro-Oeste e Norte do Brasil.
    O mapa ao lado, adaptado do site Weather Underground ilustra a dimensão e abrangência dessa massa de ar frio. Às 17 h de Greenwich (14 h de Brasília), a temperatura ainda não havia passado dos 10° C na maioria dessas regiões. Segundo dados de aeroportos, em Campo Grande (MS) e Porto Alegre (RS) fazia 12° C às 15 h (Brasília).
    Além disso, a onda de frio atingiu os estados do Acre e Rondônia, no sul da Amazônia. Em Rio Branco (AC) fazia apenas 21° C às 15 h de Brasília (14 h local). Já a cidade de Vilhena, no sul de Rondônia, amanheceu com temperatura de apenas 10,7° C nessa quarta, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Esse valor é muito baixo para uma região tipicamente quente e úmida.
    Como previsto pelo BH TEMPO, essa forte onda de frio não seria capaz de romper o bloqueio atmosférico sobre a porção centro-norte mineira. A frente fria que precede essa massa de ar polar até conseguiu atingir o Sul de Minas e provocar chuva nas últimas horas. Em Monte Verde, distrito de Camanducaia, chove fraco desde o final da tarde de ontem. Durante a madrugada, a chuva foi mais forte e nessa quarta a temperatura ainda não passou dos 15,3° C, de acordo com dados do INMET. Também choveu em algumas localidades do Campo das Vertentes, Triângulo e Zona da Mata.
    No entanto, a força do ar quente e seco sobre a Região Metropolitana de Belo Horizonte ainda não permitiu que o mesmo ocorresse na capital. Belo Horizonte tem uma tarde de sol entre poucas nuvens (imagem abaixo), muito calor e baixa umidade. Às 16 h local fazia 29° C com umidade relativa de apenas 33 %, segundo dados do aeroporto da Pampulha.
    O mapa acima destaca a localização da capital mineira na parte mais quente do continente sul-americano nesse momento, onde também se encontram o DF, os estados de Goiás, Espírito Santo, o Nordeste do Brasil, o restante da Amazônia, além de países como Colômbia e Venezuela.

    Capital mineira tem tarde de sol e calor nessa quarta

    12 de julho de 2010

    Nova massa de ar polar chegará ao Norte do Brasil sem atingir MG

    A semana começa com novidades na previsão do tempo: uma intensa massa de ar polar já avança pelo Chile, Argentina e Uruguai e nas próximas horas deverá atingir também o Paraguai, Bolívia e as regiões Sul, Centro-Oeste e Norte do Brasil. Essa será provavelmente a mais forte onda de frio registrada em 2010 nessas regiões do país. Alguns modelos de previsão meteorológica indicam a ocorrência de temperaturas abaixo de zero em grande parte do Sul do Brasil, com altas chances para ocorrência de neve nas áreas mais elevadas das serras gaúcha e catarinense. Em Porto Alegre (RS), a segunda-feira já amanheceu nublada e chuvosa.
    Na Amazônia Meridional ocorrerá o fenômeno da friagem, caracterizado pela queda repentina das temperaturas numa região tipicamente quente e úmida. Em Rio Branco - capital do Acre - o avanço da massa de ar polar já provoca chuva forte entre o final da tarde de hoje (12) e amanhã (13). A partir de quarta, as temperaturas despencam quase 10°C. A previsão indica máximas de apenas 22° C e mínimas em torno de 12° C na capital do Acre até o final da semana. Em Rondônia, o frio também será intenso, sobretudo nas regiões das cidades de Guajará-Mirim (oeste) e Vilhena (sul do estado). Nesta última, as mínimas poderão ficar abaixo de 9° C.
    Já no Sudeste do Brasil, uma massa de ar seco, associada a um sistema de alta pressão atmosférica, dificulta a aproximação da nova frente fria e massa de ar polar. Em Minas Gerais, a onda de frio praticamente não será sentida. O tempo estável e ameno deve permanecer na capital mineira, onde as temperaturas variam entre 15° C (mínima) e 27° C (máxima). POR QUE? A massa de ar polar que influencia o Brasil nos próximos dias terá uma trajetória mais continental, avançando pelas planícies do Chaco (inclusive Pantanal) até o sul da Amazônia. Além disso, como mencionado acima, o Sudeste do país ainda se encontra sob atuação de um bloqueio atmosférico proporcionado por uma massa de ar seco de centro oceânico.